Capítulo 11
Fim de impérios, reinos divididos e guerra entre reis
 

Ao iniciarmos os capítulos finais do Profeta Daniel faremos uma descrição objetiva, iniciando com o presente capitulo o de nº 11.

No primeiro ano de Dario, o medo, levantei-me para o animar e fortalecer. (não é o rei Dario I, da cova dos leões).

Agora eu te declararei a verdade. Ainda três reis se levantarão na Pérsia, e o quarto será cumulado de grandes riquezas mais do que todos. E tendo-se fortalecido por meio de suas riquezas, agitará a todos contra o reino da Grécia.( Três reis na Pérsia: isto é, Cambises, Pseudo-Smerdis e Dario I : o quarto rei é Xerxes I, que empreendeu uma grande campanha contra a Grécia em 480 A.C).

Depois se levantará um rei, valente, que reinará com grande domínio,e fará o que lhe aprouver.

Trata-se de Alexandre o grande, depois de sua morte em 323 A.C o reino foi dividido entre seus quatro generais, os diadocos isto é sucessores, ficando a palestina por algum tempo com os ptolomeus, reis do Egito (os reis do sul nos versic.5 e 6) e no ano 200 ou 198 a.C., com os Seleucidas reis da Siria - (os reis do norte no versic.7). Seleuco IV Filopator (187-175 a.C.) foi sucedido por Antioco IV Epifanio (175-164 a.C.) o livro de Macabeus que narra a história desse período nos revela que tudo culminou com a profanação do templo : durante dois anos e meio cessaram os sacrifícios e o culto. Mas os judeus chefiados pelo irmãos Macabeus levantarem-se a mão armada.

Mas estando ele em pé, o seu reino será quebrado. e será repartido para os quatro ventos do céu. Não passará a sua posteridade nem terá o mesmo poder com que reinou, porque o seu reino será arrancado, e passará a outros (Alexandre morreu sem deixar

herdeiro em 323 a.C., seu meio irmão Filipe assim como seu pequeno filho foram assassinados pelos seus generais que guerrearam entre si, em 301 a.C. dividiram o império em "quatro" a porção ocidental coube a Cassandro, o norte foi dado a Lisimaco, o leste a Seleuco e o sul a Ptolomeu.

O rei do sul se fortalecerá, como também um de seus príncipes, este se fortalecerá mais do que ele, e reinará, e grande será o seu domínio. Mas a cabo de alguns anos, eles se aliarão: a filha do rei do sul virá ao rei do norte para fazer um tratado.

Ela, porém, não conservará a força do seu braço, nem ele persistirá, nem o seu braço

porque ela será entregue, e os que a tiverem trazido, e seu pai, e o que a fortalecia naqueles tempos.

A filha do rei do sul: ptolomeu II Filadelfo (285-247 a.C.)  casou sua filha Berenice com Antioco II (261-247 a.C.) , em 252 a.C. para assegurar  a  sua   dinastia a posse da Síria. Antioco repudiara sua esposa legitima Laodice, esta vingando -se matou Antioco, Berenice e o filho de ambos, entregando o trono  a seu filho Seleuco II (246-226 a.C.).

Mas do renovo de suas raízes um se levantará em seu lugar, e virá com o exército, e entrará nas fortalezas do rei do norte, e agirá contra elas, e prevalecerá.( um renovo: trata-se do irmão de Berenice  ptolomeu III Evergetes (247-221 a.C.) que para vingar a morte da irmã, invadiu a Síria vitoriosamente.

Passaremos agora ao versículo 10: Seus filhos intervirão e reunirão um grande exército que virá apressadamente , arrasará tudo como uma inundação irresistível e levará a guerra até a sua fortaleza. (Seus filhos : Seleuco  II (226-222 a.C.) e principalmente,

Antioco III o Grande (222-187 a.C.) de que tratam os versículos seguintes.o versículo 12 nos diz: Quando o seu exército for levado o reino do sul se encherá de orgulho, e derrubará miríades, mas não prevalecerá.(antioco III consegue ocupar Gaza mas Ptolomeu IV Filopator (221-204 a.C.) expulsa-o depois da derrota de Ráfia (217 a.C.), não conseguindo, nem ele, tirar proveito do triunfo.

A Palestina torna-se campo de batalha entre os reis da Síria e do Egito. e no versículo 14 nos diz: “Naqueles tempos muitos se levantarão contra o rei do sul . Os violentos dentre  o teu povo se levantarão, em cumprimento da visão mas eles cairão”.

Na nova campanha de Antioco contra o Egito alguns judeus, revoltando-se contra os ptolomeus  tomaram o partido dos Seleucidas sem que Antioco III os favorecesse por causa disto: assim contribuíram para o cumprimento das profecias de Daniel.

Versículo 16 : “O que há de vir contra ele fará segundo a sua vontade ninguém poderá resistir diante dele. Estará na terra gloriosa, e terá o poder de destruí-la”. ( Em 200 a.C. Antioco III derrotou os Egípcios  junto das nascentes do rio Jordão, conquistando em seguida Sidom e a Palestina inteira, dai em diante os judeus são súditos dos Selêucidas.

Versículo 17 : “Firmará o propósito de vir com a força de todo  o seu reino, e fará uma aliança com o rei do sul. E lhe dará uma jovem em casamento a fim de destruir o reino, mas seus planos não vingarão, nem serão para sua vantagem”. (Para obter o trono do Egito Antioco  III, casou sua filha Cleópatra com Ptolomeu V Epifanio (204-181 a.C.) mas nada conseguiu.

Versículo 18; “Depois virará o seu rosto para as ilhas e tomará muitas mas um  príncipe fará cessar o seu opróbrio contra ele, e ainda fará recair sobre ele o seu opróbrio”. (avançando Antioco contra as ilhas e as costas gregas, entra em conflito com os romanos em 190 a.C. o cônsul Lúcio Cornélio Cipião derrota-o junto de magnésia.

Versículo 19: “Virará então seu rosto para as fortalezas da sua propria terra, mas tropeçará, e cairá, e não será achado”. (numa campanha contra os partos tendo pilhado e templo de Elimais, Antioco é morto pelo povo revoltado, em 187 a.C.)

Verso 20: “Em seu lugar se levantará quem fará passar um exator de tributo pela glória do reino, mas em poucos dias será destruído, e isto sem ira e sem batalha”. (Alusão a Seleuco IV Filopator (187-175 a.C.) e a seu emissário Heliodoro (cf. 2 Mac, 3).

21: “Depois se levantará em seu lugar um homem vil, ao qual não tinham dado a dignidade real. Ele virá caladamente, e tomará o reino com engano.(vilão: isto é Antioco IV Epifanio).

22: “As forças inundastes serão varridas de diante dele, e serão destruídas, como também o príncipe da aliança”. (sumo sacerdote onias III (2 MAC 4)).

23: “Depois de fazer aliança com ele, usará de engano, e subirá, e se tornará forte com pouca gente”.

24: “Virá caladamente aos lugares mais férteis da provincia e fará o que nunca fizeram seus pais, nem os pais de seus pais. Repartirá entre eles a presa e os despojos e a riqueza, e formará os seus projetos contra as fortalezas, mas por certo tempo”. (Antioco costumava subornar criaturas vis nos países que pretendia conquistar).

Versículos 25 a 28: “Suscitará sua força e seu coração contra o rei do sul com um grande exército. O rei do sul se envolverá  na guerra com um grande e poderoso exército, mas não subsistirá, porque maquinarão projetos contra ele. Os que comerem os seus manjares o destruirão, o seu exército será arrasado, e cairão muitos trespassados. Também estes dois reis terão o coração atento para fazerem o mal, e a uma mesma mesa falarão a mentira, mas sem êxito, porque o fim há de ser no tempo determinado. Então voltará para sua terra com grande riqueza, e o seu coração será contra a santa aliança. Ele fará o que lhe aprouver, e tornará para sua terra”. (Antioco IV venceu Ptolomeu VI Filometor(181 a 146 a.C.) o qual se viu embargado por uma guerra civil. De volta do Egito, Antioco tomou as primeiras providências hostis contra os judeus).

20 a 30 : “No tempo determinado tornará a vir contra o Sul, mas não será na ultima vez como foi na primeira. Porque virão contra ele navios de Quitim, que lhe causarão tristeza. Voltará, e se indignará contra a santa aliança, e fará como lhe apraz. Ainda voltará e atenderá aos que tiverem desamparado a santa aliança”. (Os romanos com sua intervenção, sustaram uma nova campanha de Antioco IV contra o Egito. Esse ano 168 a.C., marca o inicio da perseguição total contra os Judeus ( I mac 1,41s).

31: “Dele sairão uns braços que profanarão o santuário, isto é a fortaleza e tirarão o sacrifício contínuo, estabelecendo a abominação desoladora”.

32: “Aos violadores da aliança, ele com lisonjas perverterá, mas o povo que conhece ao seu Deus se tornará forte, e fará proezas”.

33: “Os entendidos entre o povo ensinarão a muitos, mas cairão pela espada e pelo fogo, pelo exílio e pelo roubo, por muitos dias”.

34: “Mas caindo, eles serão ajudados  com pequeno socorro, e muitos se ajuntarão a eles com lisonjas”.

35: “Alguns dos entendidos cairão para serem provados, e purificados, e embranquecidos até o fim dos tempo, porque isso será para o tempo determinado”. 

Os versículos finais  40-45 resumem as proezas de Antioco IV.

 


   Home    Estudos Bíblicos    Daniel na Babilônia    Cap. 1    Cap. 2    Cap. 3    Cap. 4    Cap. 5    Cap. 6    Cap. 7    Cap. 8    Cap. 9    Cap. 10    Cap. 12