O VELHO TESTAMENTO

 

 

 


(M.O.S.) Missão Oráculo do Senhor

www.oraculodosenhor.com

 

 Bem vindo ao Estudo Bíblico da (M.O.S.), este estudo tem a finalidade de levar o aluno a compreender o plano de Deus para a humanidade.

 

(1°) Escolha um lugar tranqüilo e com pouco barulho para fazer o estudo.

(2°) tenha uma Bíblia sagrada em Mãos.

(3°) Peça a Deus em oração, que lhe abençoe e lhe de o entendimento do estudo.

(4°) Leia atentamente e compare com sua Bíblia cada texto citado, e só mude de assunto quando não tiver mais dúvidas.

(5°) Em caso de dúvidas entre em contato conosco estaremos a sua disposição.

 

Que Deus o abençoe abundantemente em nome do Senhor Jesus, Amém!

 

 


 

O Velho Testamento

Introdução

Nosso objetivo não é fazer um estudo profundo e detalhado sobre o Velho Testamento, mas sim apresentar o plano de Deus, traçado desde a eternidade, sendo desenrolado na terra até a chegada do Reino de Deus através de Jesus Cristo

É importante observar que Jesus sendo o Verbo Eterno sempre existiu e esteve presente e atuante durante todo o Velho testamento.

 

O Princípio

Nossa história começa antes da fundação do mundo, quando só existia Deus. O Deus Eterno. Onipotente, onipresente e onisciente. O Deus Triuno

O Deus Eterno se expressa em 3 pessoas desde a eternidade:

·        O Deus Pai

·        O Verbo Eterno (que se tornaria Jesus)

·        O Espírito Santo

Estes três são um, inseparáveis, nem maiores nem menores um que o outro, com a mesma natureza. A trindade.

Os três juntos formam o único Deus Verdadeiro.

João 1:1-3

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez”.

Este texto fala sobre Jesus na eternidade. Foi Ele quem fez todas as coisas. É Ele quem executa e expressa a vontade do Pai.

Deus elaborou e projetou. Jesus fez.

 

O Propósito Eterno

Desde o princípio Deus tinha um propósito, um desejo em seu coração de formar uma grande família de muitos filhos semelhantes a Jesus. Na qual se expressaria todo seu amor, glória poder e majestade.

Uma família para amá-lo e ser amada por Ele. Uma família santa na qual pudesse expressar todo seu amor. Com este objetivo Deus dá origem a criação de todas as coisas.

Existe então um propósito para o qual o mundo e o homem foram criados.

 

A Criação do Mundo

A ciência possui cerca de 23 teorias para explicar como este mundo maravilhoso em que vivemos veio a existir.

Por que tantas?

à Porque nenhuma consegue explicar verdadeiramente a origem do universo.

Por exemplo: A teoria do big-bang (a mais aceita) diz que uma minúscula partícula, menor que a cabeça de um alfinete e de massa infinita, vagava pelo vácuo infinito a 4,5 bilhões de anos atrás quando de repente, por puro acaso, ela explodiu e formou o universo. É mais ou menos como dizer que um vulcão explodiu e as pedras e lavas foram caindo e formando uma cidade arquitetonicamente projetada.

Mas alguns cientistas também afirmam com evidencias mais claras, com base na presença de gás hélio na atmosfera, no tamanho do campo magnético terrestre, Segunda lei da termodinâmica e muitos outros fatos, que o mundo não pode ter mais do que dez mil anos. O que confirma o relato bíblico.

A verdade é que o mundo foi criado por Deus. É resultado de um ato criativo de Deus.

Gênesis 1:1 "No princípio criou Deus os céus e a terra”.

A Palavra diz que "no principio Deus criou". E criou a partir do nada.

Deus disse: "Haja o universo!". E houve o universo.

 

A Criação do Homem

 Para dar prosseguimento ao seu propósito, após criar o mundo, no sexto dia, Deus CRIA o homem.

A ciência também tenta de muitas maneiras explicar isto, mas não consegue mais do que teorias.

A Teoria da Evolução (que por não ser um fato ainda é teoria) diz que através de mutações sucessivas uma bactéria (como uma ameba) se transformou em peixe que virou réptil, que virou macaco, que virou homem.

Este completo absurdo diz que o ser humano, complexo como é, dotado de mente, vontade e emoções (para não falar de espírito), é fruto do acaso. O pior é que isto é ensinado em todas as escolas como sendo a verdade.

É preciso mais fé para crer nisto do que para crer em Deus.

Certa vez alguém disse: “Prefiro ser um Adão caído a um macaco evoluído".

Eu particularmente prefiro crer que eu existo porque Deus em seu infinito amor me criou para fazer parte de seu propósito, do que acreditar que vim de uma ameba.

 

Gênesis 1:26-27

"E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra. Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou”.

 

Poderíamos gastar horas aqui e explicar as evidências desta verdade. Mas isto é assunto para outra ocasião. Continuemos olhando para a Palavra.

 

Como o homem foi criado:

Gênesis 2:7

“E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente”.

·        Deus formou o homem do pó da terra (corpo).

·        Soprou nele o fôlego da vida (espírito).

·        Homem tornou-se alma vivente (alma - mente, vontade e emoções).

Deus fez o homem com espírito, alma e corpo.

 

Como a mulher foi criada:

Gênesis 2:18; 21-23.

Disse mais o Senhor Deus: “Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea. Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre o homem, e este adormeceu; tomou-lhe, então, uma das costelas, e fechou a carne em seu lugar; e da costela que o senhor Deus lhe tomara, formou a mulher e a trouxe ao homem. Então disse o homem: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; ela será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada.”.

Deus criou a mulher a partir do homem. Deus criou para Adão uma auxiliadora idônea, alguém que fosse como ele, para estar sempre ao seu lado. Deus criou o homem com um propósito, mas para que o homem cumprisse este propósito precisava da mulher.

Ele a criou da costela de Adão, retirou do seu lado.

·        Não foi da cabeça, para que ela não dominasse sobre ele.

·        Nem do seus pés para que não pisasse sobre ela.

·        Mas do seu lado, para estivesse ao seu lado.

Deus é perfeito e bom; e criou tudo perfeito e bom.

 (Gênesis 1:31 - viu Deus que era muito bom...). O universo era perfeito e bom. O homem era perfeito e bom. Ele criou o universo todo, a terra e tudo que nela habita para que servisse de morada para o homem, a coroa da sua criação, para que esse o amasse, adorasse e obedecesse.

 

A Queda do Homem

O homem tinha perfeita comunhão com Deus. Relacionava-se perfeitamente com Deus.

Nada faltava ao homem, ele tinha tudo o que precisava.

Dependia plenamente de Deus.

O Homem bebia diretamente da fonte de todas as coisas: Deus.

Podia desfrutar da árvore da vida, não sabia o que era depressão ansiedade, preocupação, tédio, etc. Tinha uma vida perfeita e agradável.

No entanto Deus tinha dado uma ordem ao homem:

 

Gênesis 2:16-17

"Ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás”.

 

Deus deu esta ordem ao homem e também deu liberdade de escolha, para que ele escolhesse sempre obedecer, amar e depender de Deus espontaneamente.

Toda obediência só é testada se houver liberdade.

 

A queda: 

(um episódio que mudou a história)

Gênesis 3:1-6

"Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Disse a serpente à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal. Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu, e deu a seu marido, e ele também comeu”.

Satanás ofereceu a eles a oportunidade de serem independentes de Deus, conhecer o bem e o mal e poder tomar as suas decisões de acordo com a própria vontade.

Este é o pior pecado do homem, uma atitude interior de independência de Deus. Por causa disso ele desobedeceu e pecou.

Foi assim que o pecado entrou no mundo. Por que Adão desobedeceu movido pelo seu desejo de ser independente.

O homem foi tomado por uma natureza maligna, diabólica e inimiga de Deus. O pecado passou a fazer parte da natureza do homem.

 

Consequências da Queda:

·        O homem ofendeu a santidade de Deus e provocou a sua ira.

·        O homem morreu espiritualmente.

·        Tornou-se escravo de Satanás e do pecado.

·        Perdeu a comunhão com Deus. Foi afastado e destituído da presença de Deus.

O homem foi transformado em sua natureza, e proliferou o pecado gerando filhos conforme a sua semelhança.

Deus dá esperança de salvação ao homem (Gênesis 3:16) iniciando um processo de aproximação e revelação de si mesmo ao homem que se consumaria cerca de 4.000 anos mais tarde na pessoa de Jesus Cristo (que mudaria a história pela segunda vez). Hebreus 1: 3.

 

O Dilúvio:

De Adão até Noé se passaram cerca de 2.000 anos.

O mundo, separado de Deus, se corrompeu de tal maneira que Deus decide exterminar todos os homens por causa do pecado. Gênesis 6:5

Mas Noé achou graça aos olhos do Senhor.

Não porque fosse bom ou perfeito, mas pela graça de Deus.

Deus ordena que ele faça uma arca (Gênesis 6:14-16), pois enviaria chuvas sobre a terra por quarenta dias e quarenta noites (até então não havia chovido sobre a terra).

Noé obedece, faz a arca conforme Deus tinha ordenado e entra nela com sua esposa, seus 3 filhos suas esposas, além de 1 casal de cada animal que havia na terra.

Deus então envia o Dilúvio (Gênesis 6:17-18) encerrando sobre as águas todo ser vivente.

Mas Noé e todos que entraram na arca foram salvos.

A natureza de Noé era a mesma natureza pecaminosa de Adão e logo o homem começa a se envolver em pecado e corrupção, (ex: Torre de Babel Gênesis 11:4).

 

Os Patriarcas

Abraão:

O homem ficou mais de 2.000 anos afastado de Deus, de modo que já não conhecia mais a Deus. Apenas vestígios da revelação inicial de Deus haviam permanecido. Mas a partir da civilização que se formou após o dilúvio, Deus escolhe um homem, separa-o dos demais e começa a se revelar a ele.

 

Gênesis 12:1-4 

"Ora, o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. Eu farei de ti uma grande nação; abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu, sê uma bênção. Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. Partiu, pois Abrão, como o Senhor lhe ordenara, e Ló foi com ele. Tinha Abrão setenta e cinco anos quando saiu de Harã”.

 

Estas promessas se cumprem em Jesus.

Abrão tinha nesse tempo 75 anos. Deus promete fazer dele uma grande nação, só que sua mulher Sarai era estéril.

 

Gênesis 15:1-6

"Depois destas coisas veio à palavra do Senhor a Abrão numa visão, dizendo: Não temas, Abrão; eu sou o teu escudo, o teu galardão será grandíssimo. Então disse Abrão: Ó Senhor Deus, que me darás, visto que morro sem filhos, e o herdeiro de minha casa é o damasceno Eliézer? Disse mais Abrão: A mim não me tens dado filhos; eis que um nascido na minha casa será o meu herdeiro. Ao que lhe veio à palavra do Senhor, dizendo: Este não será o teu herdeiro; mas aquele que sair das tuas entranhas, esse será o teu herdeiro. Então o levou para fora, e disse: Olha agora para o céu, e conta às estrelas, se as podes contar; e acrescentou-lhe: Assim será a tua descendência. E creu Abrão no Senhor, e o Senhor imputou-lhe isto como justiça”.

 

O filho prometido:

Abrão teve dois filhos um segundo a vontade humana (Ismael) e outro segundo a promessa de Deus (Isaque). Ele tinha 100 anos quando sua mulher deu a luz.      (Gênesis 21:1-8)

Durante este tempo o Senhor muda o nome de Abrão para Abraão (pai de uma multidão e o de Sarai para Sara (princesa). Também a feita à aliança da circuncisão. (Gênesis 17: 1-11)).

 

O sacrifício de Isaque:

Gênesis 22:1-24

Quando Isaque era menino o Senhor ordena a Abraão que oferecesse seu filho Isaque em sacrifício a Ele. Mesmo sendo o filho da promessa, Abraão obedeceu. Ele cria que Deus era fiel e poderoso o suficiente para ressuscitar Isaque.

Deus, porém, vendo a fé de Abraão, quando este já havia levantado a adaga para sacrificar seu filho, impediu o sacrifício, enviando um cordeiro para morrer em seu lugar.

 

Isaque:

Isaque cresceu e se casou com Rebeca, com a benção de seus pais. Ela também era estéril, pelo que Isaque orou insistentemente ao Senhor durante 20 anos, e ela concebeu gêmeos: Esaú e Jacó.  (Gênesis 25:2-3; 26).

Deus continua a se revela, agora a Isaque.

Gênesis 26:2-5

"E apareceu-lhe o Senhor e disse: Não desças ao Egito; habita na terra que eu te disser; peregrina nesta terra, e serei contigo e te abençoarei; porque a ti, e aos que descenderem de ti, darei todas estas terras, e confirmarei o juramento que fiz a Abraão teu pai; e multiplicarei a tua descendência como as estrelas do céu, e lhe darei todas estas terras; e por meio dela serão benditas todas as nações da terra; porquanto Abraão obedeceu à minha voz, e guardou o meu mandado, os meus preceitos, os meus estatutos e as minhas leis”.

Esaú era o primogênito, porém desprezou sua primogenitura e Jacó a comprou por um guisado. (Gênesis 25:28-34)

Quando Isaque estava para morrer, Jacó, orientado por rebeca (por causa da amargura Gênesis 26:34-35), se apresenta como Esaú para receber a benção de primogênito (Gênesis 27:1-46).

 

Gênesis 27:28-29

"Que Deus te dê do orvalho do céu, e dos lugares férteis da terra, e abundância de trigo e de mosto; sirvam-te povos, e nações se encurvem a ti; sê senhor de teus irmãos, e os filhos da tua mãe se encurvem a ti; sejam malditos os que te amaldiçoarem, e benditos sejam os que te abençoarem”.

 

Esaú ficou furioso e procurava matar seu irmão (Gênesis 27:41). Isaque então envia Jacó para Padã-Arã (obediência-Gênesis 28:7)

 

Jacó:

Deus continua a se aproximar e se revelar. Agora a Jacó

Gênesis 28:10-22

"Partiu, pois, Jacó de Beer-Seba e se foi em direção a Harã; e chegou a um lugar onde passou a noite, porque o sol já se havia posto; e, tomando uma das pedras do lugar e pondo-a debaixo da cabeça, deitou-se ali para dormir. Então sonhou: estava posta sobre a terra uma escada, cujo topo chegava ao céu; e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela; por cima dela estava o Senhor, que disse: Eu sou o Senhor, o Deus de Abraão teu pai, e o Deus de Isaque; esta terra em que estás deitado, eu a darei a ti e à tua descendência; e a tua descendência será como o pó da terra; dilatar-te-ás para o ocidente, para o oriente, para o norte e para o sul; por meio de ti e da tua descendência serão benditas todas as famílias da terra. Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; pois não te deixarei até que haja cumprido aquilo de que te tenho falado. Ao acordar Jacó do seu sono, disse: Realmente o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia. E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus. Jacó levantou-se de manhã cedo, tomou a pedra que pusera debaixo da cabeça, e a pôs como coluna; e derramou-lhe azeite em cima. E chamou aquele lugar Betel; porém o nome da cidade antes era Luz. Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo e me guardar neste caminho que vou seguindo, e me der pão para comer e vestes para vestir, de modo que eu volte em paz à casa de meu pai, e se o Senhor for o meu Deus, então esta pedra que tenho posto como coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo”.

 

De enganador a enganado:

Em Padâ, Jacó vai trabalha para Labão por causa de sua filha Raquel.

Segundo um acordo entre os dois ele trabalharia 7 anos e receberia a mão de Raquel.

Mas ao final deste período, Labão entrega Lia, sua outra filha.

Jacó trabalha então mais sete anos por Raquel e labão a entrega.

 

Os filhos de Jacó

Jacó teve 12 filhos, que formariam mais tarde a 12 tribos e Israel.

·        Rubem

·        Simeão

·        Levi

·        Judá

·       

·        Naftali

·        Gade

·        Asser

·        Issacar

·        Zebulom

·        José

·        Benjamim

 

Israel:

Deus diz para Jacó voltar a sua terra (Gênesis 31:13).

E quando este ainda estava a caminho, no vale do Jaboque, tem um encontro com Deus.

 

Gênesis 32:22-32

"Jacó, porém, ficou só; e lutava com ele um homem até o romper do dia. Quando este viu que não prevalecia contra ele, tocou-lhe a juntura da coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, enquanto lutava com ele. Disse o homem: Deixa-me ir, porque já vem rompendo o dia. Jacó, porém, respondeu: Não te deixarei ir, se me não abençoares. Perguntou-lhe, pois: Qual é o teu nome? E ele respondeu: Jacó. Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; porque tens lutado com Deus e com os homens e tens prevalecido. Perguntou-lhe Jacó: Dize-me, peço-te, o teu nome. Respondeu o homem: Por que perguntas pelo meu nome? E ali o abençoou. Pelo que Jacó chamou ao lugar Peniel, dizendo: Porque tenho visto Deus face a face, e a minha vida foi preservada. E nascia o sol, quando ele passou de Peniel; e coxeava de uma perna”.

·        Teve sua vontade quebrada. (provavelmente tinha medo de Esaú)

·        Amou a benção novamente.

·        Deus mudou seu nome (transformação) de Jacó (trapaceiro) para Israel (que luta com Deus - campeão)

Ele segue enfrente e ao encontrar Esaú é recebido com alegria. (Deus preparou o caminho)

 

José:

Jacó tinha um carinho especial por seu filho José, que tinha sonhos e visões. Isso provocou o ciúme de seus irmãos, que armaram um plano e o venderam como escravo aos midianitas e este foi levado ao Egito. Eles contaram a Jacó que José tinha sido devorado no campo.

Mas o Senhor cuidou de José no Egito, de forma que ele prosperava em tudo que fazia. Deus sempre concedia graça aos olhos dos seus senhores e ele prosperava (Gênesis 34:4; 21).

José interpretava sonhos e um dia foi chamado perante Faraó, pois este estava inquieto com um sonho que tinha tido e não havia quem o explicasse.

José interpreta o sonho de faraó:

 

Gênesis 41:25-33

"Então disse José a Faraó: O sonho de Faraó é um só. O que Deus há de fazer, notificou-o a Faraó. As sete vacas boas são sete anos, e as sete espigas boas também são sete anos; o sonho é um só. As sete vacas magras e feias que subiam após as primeiras, são sete anos, como as sete espigas miúdas e queimadas do vento oriental: são sete anos de fome. Esta é a palavra que eu disse a Faraó: o que Deus há de fazer mostro-o a Faraó. Vêm sete anos de grande fartura em toda terra do Egito. Depois deles levantar-se-ão sete anos de fome, e toda aquela fartura será esquecida na terra do Egito, e a fome consumirá a terra. Não será conhecida a abundância na terra, por causa daquela fome que seguirá; porquanto será gravíssima. Ora, se o sonho foi duplicado a Faraó, é porque esta coisa é determinada por Deus, e ele brevemente a fará. Portanto, proveja-se agora Faraó de um homem entendido e sábio, e o ponha sobre a terra do Egito”.

 

Vendo que nele habitava o Espírito de Deus, Faraó o coloca como governador de toda a terra do Egito, revestindo-o de autoridade e privilégios. (Gênesis 41:38-40)

Tudo isso foi parte de um plano de Deus. José , como autoridade sobre toda a terra do Egito, manda buscar seu Pai Israel e todos os seus para lá habitarem com segurança e fartura.

Gênesis 46:3-4

"E Deus disse: Eu sou Deus, o Deus de teu pai; não temas descer para o Egito; porque eu te farei ali uma grande nação. Eu descerei contigo para o Egito, e certamente te farei tornar a subir; e José porá a sua mão sobre os teus olhos”.

 

Deus usou o Egito como uma proteção para os filhos de Israel.

Ali eles estavam livres de povos inimigos e da fome, podendo crescer e se fortalecer.

Cerca de 70 pessoas fora mulheres desceram para o Egito.

E foram preservados ali por Deus aguardando nas ultimas palavras de José:

 

Gênesis 50:24

"Depois disse José a seus irmãos: Eu morro; mas Deus certamente vos visitará, e vos fará subir desta terra para a terra que jurou a Abraão, a Isaque e a Jacó”.

 

O Êxodo

O povo de Israel viveu bem no Egito por muitos anos. Mas com o passar do tempo, José morreu, Faraó morreu e um novo rei passou a governar o Egito. Vendo que eles eram muito numerosos o novo rei (Faraó) temeu e começou a oprimir os filhos de Israel colocando-os como escravos sob dura servidão.

Moisés:

Nesta época Faraó mandou matar todos as crianças que nascem homens dentre os israelitas. Mas uma delas escapou, sendo colocada por sua mãe em uma cesta no rio. Esta criança foi encontrada pelas servas da filha de Faraó que a adotou. Foi chamada Moisés (salvo das águas).

Três fase de 40 anos:

·        Viveu 40 anos entre os príncipes do Egito, conhecendo toda ciência e instrução.

·        Viveu 40 anos no deserto como pastor de ovelhas em Midiã.

·        Viveu 40 anos conduzindo o povo até a terra prometida.

 

O Chamado de Moisés:

(Êxodo 3)

Quando era pastor em Midiã, Deus aparece a ele numa sarça (arbusto) que ardia como fogo e se revela a ele:

 

Gênesis 3:5-6

“... Não te chegues para cá; tira os sapatos dos pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa. Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó...”.

Moisés é então enviado para tirar o povo do Egito e conduzi-lo até a terra da promessa.

 

O Nome de Deus:

Gênesis 3:14 

"Respondeu Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos olhos de Israel: EU SOU me enviou a vós”.

O Grande EU SOU à YHWH (em hebraico)

O nome aqui referenciado não é Jeová. Este termo só veio a ser usado por volta de 500 d.C. como uma fusão de YHWH e as vogais de Adonai resultando Yheowah (Jeová). O que mais se aproxima do impronunciável YHWH é Javé.

Jesus refere-se varias vezes a si mesmo como sendo EU SOU: "Eu sou A luz do mundo”, "Eu sou o caminho, e a verdade e a vida”. "Antes que Abraão fosse EU SOU", e muitas outras passagens.

 

As pragas:

Moisés fala ao povo que Deus iria libertá-los e depois vai a Faraó dizendo que permitisse a saída do povo para o deserto. Mas o coração de faraó estava endurecido e ele não deu ouvido a Moisés.

Então Deus começa a enviar pragas sobre o Egito para que Faraó soubesse que Ele era o Senhor.

As 10 pragas:

·        Sangue

·        Rãs

·        Piolhos

·        Moscas

·        Peste

·        Úlceras

·        Saraivas

·        Gafanhotos

·        Trevas

·        Morte dos primogênitos

 

A Páscoa:

Deus iria passar sobre a terra do Egito exterminando todos os primogênitos. Os filhos de Israel deveriam imolar um cordeiro, aspergir seu sangue sobre as portas de suas casas e comer sua carne assada com ervas amargas. O Sangue seria o sinal.

Êxodo 12:12-14

“Porque naquela noite passarei pela terra do Egito, e ferirei todos os primogênitos na terra do Egito, tanto dos homens como dos animais; e sobre todos os deuses do Egito executarei juízos; eu sou o Senhor. Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito: E este dia vos será por memorial, e celebra-lo-eis por festa ao Senhor; através das vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo”.

Isto se cumpre em Jesus. Seu sangue nos livra da morte e da ira de Deus. Ele é o cordeiro pascal.

Assim Faraó permitiu que o povo saísse rumo ao deserto. E eles saíram carregados de bens dados pelos egípcios.

O povo de Israel ficou durante 430 anos na terra do Egito. Desceram para lá cerca de 70 pessoas e saíram 600.000 fora mulheres e crianças. (Gênesis 13:17-22)

Se levarmos em conta que cada família tinha cerca de seis pessoas, vemos que ao todo, cerca de 3.600.000 pessoas saíram do Egito em direção ao mar.

 

A Passagem pelo Mar Vermelho:

Êxodo 14:15-31

v. 15-16

"Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem. E tu, levanta a tua vara, e estende a mão sobre o mar e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco”.

v29 

"29 Mas os filhos de Israel caminharam a pé enxutos pelo meio do mar; as águas foram-lhes qual muro à sua direita e à sua esquerda”.

Moisés estende as mãos e o mar se abre. Cerca de 3.600.000 pessoas passam a seco através do mar até a outra margem. Quando faraó (que os perseguia) está atravessando, o mar se fecha sobre ele e todo o seu exército.

 

A Peregrinação no Deserto:

Neste ponto, tem início a marcha do povo de Israel até a terra prometida. Inicia-se também uma etapa de tratamento e santificação do povo onde o Senhor começa a se aproximar e se revelar como o Deus de Israel.

O povo começa a murmurar, reclamando de água e comida.

Deus faz sair água da rocha e diz: "Eu sou o Deis que te sara".

Deus envia o maná e as codornizes e diz: "Eu sou o Deus que te sustenta".

 

A chegada ao monte Sinai:

Cerca de três meses de pois de sair do Egito eles chegam no monte Sinai. Onde Deus faz uma aliança com o povo de Israel

Êxodo 19:1-6

"No terceiro mês depois que os filhos de Israel haviam saído da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai. Tendo partido de Refidim, entraram no deserto de Sinai, onde se acamparam; Israel, pois, ali se acampou em frente do monte. Então subiu Moisés a Deus, e do monte o Senhor o chamou, dizendo: Assim falarás à casa de Jacó, e anunciarás aos filhos de Israel: Vós tendes visto o que fiz: aos egípcios, como vos levei sobre asas de águias, e vos trouxe a mim. Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, então sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra; e vós sereis para mim reino sacerdotal e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel”.

 

Deus estabelece a Lei:

Lei: Conjunto de regras, rituais, cerimônias e estatutos morais que regiam o relacionamento do povo com Deus e entre eles.

Moisés sobe ao cume do Sinai para receber as leis do Senhor.

 

Os dez mandamentos:

A lei começa com os dez mandamentos (Êxodo 20:1-21)

1)  Não terás outros deuses diante de mim

2)  Não fará para ti imagem alguma de escultura para adorardes

3)  Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão

4)  Lembra-te do sábado para o santificar

5)  Honra ao teu pai e a tua mãe

6)  Não Matarás

7)  Não adulterarás

8)  Não Furtarás

9)  Não darás falso testemunho

10)        Não cobiçará coisa alguma do teu próximo

 

Diversas Leis:

O Senhor começa uma obra de santificação no povo, limpando-o de todos os costumes e conceitos que adquiriram no Egito. Ele começa a educar e instruir o povo, mostrando as coisas que lhe agradam e as que Ele abomina.

Deus dá leis acerca:

·        Dos escravos

·        Das propriedades (roubo)

·        Dos feiticeiros, adivinhos e médiuns (Deuteronômio 18:10-12).

·        Da misericórdia

·        Da Higiene no acampamento

·        No parto (Levítico 12)

·        Quando tiverem lepra (Levítico 13)

·        Higiene pessoal (Levítico 15, Deuteronômio 23:13).

·        Das relações sexuais (Levítico 18)

 

As Três Festas Anuais:

·        Páscoa: Início do ano. Também chamada festa dos pães ásimos (sem fermento). Celebrava a saída da terra do Egito (representa a Salvação)

·        Pentecostes: Cinqüenta dias após a páscoa, festa das primícias. Representa o batismo no Espírito, onde recebemos poder e Podemos ficar meio confusos, não entender algumas coisas, mas precisamos disso. (pode haver fermento)

·        Tabernáculos: Após a colheita. Deus conosco, a presença de Deus no meio do povo. Nesta festa eles saíam para habitar em tendas e cabanas relembrando o tempo em que Deus os conduzia e guiava pelo deserto.

Moisés permaneceu 40 dias e 40 noites em jejum no monte ouvindo as leis que Deus gravou em tábuas de pedra. Ao descer, o coração do povo já havia se corrompido, pois tinham feito um bezerro de ouro para adorarem. Deus se irou e decidiu exterminá-los, mas foram poupados da ira pela intercessão de Moisés. Mesmo assim muitos morreram.

 

O Tabernáculo:

 

O tabernáculo era uma tenda finamente construída de madeira de acácia, ouro, prata, bronze, pedras preciosas, peles de animais e tecidos finos. Esta tenda seria um santuário para que Deus habitasse no meio do povo.

 

Êxodo 25:8-9; 23.

"E me farão um santuário, para que eu habite no meio deles. Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo o fareis”.

"Atenta, pois, que os faças conforme o seu modelo, que te foi mostrado no monte”.

Isto também se cumpre em Jesus, quando o Verbo se faz carne e habita entre nós.

Deus mostrou um modelo para Moisés, uma miniatura, como uma maquete.

·        Átrio: Área aberta ao redor da tenda da congregação, onde eram realizados sacrifícios e ofertas.

·        Lugar Santo: Área maior no interior da tenda da congregação onde os sacerdotes serviam. Só os sacerdotes (filhos de Arão) podiam entrar lá.

·        Lugar Santíssimo (Santo dos Santos): Área menor, mais no interior da tenda da congregação, separada do lugar santo por um véu. Somente o sumo sacerdote podia entrar lá uma vez por ano para oferecer sacrifícios pelo pecado do povo. Representava a presença de Deus.

 

Os Utensílios do Tabernáculo

·        No Átrio

·        Altar dos holocaustos

·        Pia de Bronze

·        No Lugar Santo

·        Mesa dos pães da proposição

·        Candelabro de ouro puro

·        Altar de incenso

·        No Santíssimo lugar

·        Arca da aliança (com as tábuas da lei, o maná e a vara de Arão).

·        Propiciatório

Entre o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo havia um véu que separava as duas câmaras interiores da tenda, impedindo o acesso à presença de Deus. Somente o sumo sacerdote podia entrar ali uma vez por ano (alem de Moisés, que tinha livre acesso).

 

O Sacerdócio dos Levitas:

Deus separa uma das tribos de Israel para cuidar te todos os serviços relativos ao tabernáculo: os Levitas. Eles deveriam montar, desmontar e transportar o tabernáculo durante as peregrinações de Israel. Eram uns totais de 8.500 homens.

Dentre os levitas são separados Arão e seus filhos para serem sacerdotes, cuidando das ofertas e sacrifícios. Sendo que Arão era o sumo sacerdote.

Deus então dá regras para as ofertas e sacrifícios no tabernáculo que eram figuras da obra de Jesus Cristo:

·        Sacrifício de cordeiros bodes e novilhos.

·        Sangue aspergido sobre o altar para remissão de pecados

·        Uma vida por outra vida

·        Necessidade de santificação

·        Necessidade de perdão do pecado

·        Necessidade de perdão pela culpa

Tudo isso era feito para preparar um ambiente propicio para a vinda de Jesus. O povo precisava saber que deus é santo e o homem é pecador, precisava de perdão, precisava de expiação, precisava haver morte e derramamento de sangue.

 

As Doze Tribos:

Depois disso o Senhor manda contar o povo e separar por famílias, segundo os doze filhos de Israel, as tribos de Efraim e Manassés (filhos de José) ocupariam o lugar deixado pela tribo dos levitas, formando um total de doze tribos, dispostas estrategicamente ao redor do tabernáculo.

 

A Nuvem e a Coluna de Fogo:

Números 9:15-17; 23.

"No dia em que foi levantado o tabernáculo, a nuvem cobriu o tabernáculo, isto é, a própria tenda do testemunho; e desde a tarde até pela manhã havia sobre o tabernáculo uma aparência de fogo. Assim acontecia de contínuo: a nuvem o cobria, e de noite havia aparência de fogo. Mas sempre que a nuvem se alçava de sobre a tenda, os filhos de Israel partiam; e no lugar em que a nuvem parava, ali os filhos de Israel se acampavam”.

"À ordem do Senhor se acampavam, e à ordem do Senhor partiam; cumpriam o mandado do Senhor, que ele lhes dera por intermédio de Moisés”.

 

Números 10:1-7

"Disse mais o Senhor a Moisés: Faze-te duas trombetas de prata; de obra batida as farás, e elas te servirão para convocares a congregação, e para ordenares a partida dos arraiais. Quando se tocarem as trombetas, toda a congregação se ajuntará a ti à porta da tenda da revelação. Mas quando se tocar uma só, a ti se congregarão os príncipes, os cabeças dos milhares de Israel. Quando se tocar retinindo, partirão os arraiais que estão acampados da banda do oriente. Mas quando se tocar retinindo, pela segunda, vez, partirão os arraiais que estão acampados da banda do sul; para as partidas dos arraiais se tocará retinindo. Mas quando se houver de reunir a congregação, tocar-se-á sem retinir”.

 

Era o Senhor quem decidia quando o povo deveria caminhar o parar (através da coluna e da nuvem) e para onde deveria ir (através da arca que ia à frente do povo).

·        Quando a nuvem se levantava, as trombetas tocavam e o arraial levantava acampamento para a viagem.

·        Quando a nuvem descia, as trombetas tocavam e eles montavam acampamento.

 

Do Sinai a Canaã:

Deus tira uma multidão de escravos do Egito, um povo sofrido, rebelde e sem nenhuma moral. Eles passaram cerca de um ano no monte Sinai, e a o sarem eram uns povos organizados, instruídos, com leis morais e espirituais, organizado por famílias, preparados para batalhas e conhecendo um pouco mais o seu Deus.

Durante a viagem houve vários contratempos: murmurações, revoltas e incredulidade. Depois de aproximadamente dois anos de sua saída do Egito, o povo chegou até a terra prometida, mas não pode entrar por causa de sua incredulidade. Tiveram medos dos outros povos que habitavam na terra e duvidaram das promessas de Deus. Pelo que Deus fez o povo voltar ao deserto e caminhar até que o último desta geração incrédula tivesse perecido.

Todas as promessas de Deus são recebidas pela FÈ. Sem FÈ não recebemos nenhuma promessa. O caminho do Egito até Canaã poderia ser feito em cerca de 11 dias. No entanto Israel demorou 40 anos.  (Deuteronômio 1:2, Números 32:13). Quando a nova geração chega à terra prometida, sua fama havia se espalhado por toda terra amedrontando os outros povos. (Números 22:5). Moisés morre nos limites da terra, no cume do monte Pisga, em frente Jericó, depois de vislumbrar a terra que Deus daria a Israel. Ele tinha 120 anos, sua vista não se enfraqueceu e não lhe fugiu o vigor. (Deuteronômio 34:7)

 

A Entrada na Terra Prometida

Josué o servo de Moisés é encarregado por Deus de introduzir o povo na terra e conquistá-la.   (Josué 1:1-2)

 

A Conquista da Terra:

Na terra habitavam vários povos: Os jebuseus, filisteus, arameus, cananeus, heteus, amorreus, entre outros. Sobre este deus ordena que sejam destruídos e que o povo de Israel não fizesse aliança com eles para não se contaminar com eles.

O povo atravessa o Jordão a seco (semelhante à travessia do mar) e ruma para conquistar Jericó. Eles cercam a cidade e circulam ao seu redor por seis dias. No sétimo dia, mediante as ordens do Senhor eles bradam e os muros de Jericó caem. A cidade desguarnecida é tomada e destruída pelos israelitas.

Inicia-se então uma série de batalhas contra os outros povos e sempre que obedeciam ao Senhor venciam.

Na guerra contra os cinco reis, o sol parou no céu para dar tempo suficiente para que todos os inimigos de Israel fossem eliminados. (Josué 10:12-14)

Depois que todo o território foi conquistado, a terra foi dividida de acordo com as doze tribos de Israel.

 

 

Os Juízes:

Os juízes são homens que Deus levantou para julgar o povo após a conquista da terra.

De Josué até Eli são 14 Juízes:

·        Otoniel

·        Eúde

·        Sangar

·        Débora

·        Gideão

·        Abimeleque

·        Tola

·        Jair

·        Jefté

·        Ibsã

·        Elon

·        Adbon

·        Sansão

·        Eli

Este período mostra a decadência de Israel, que se afastou de Deus, se envolvendo com povos idolatras e praticando seus costumes. A tônica do livro é: cada um agia de acordo com sua própria vontade.

Juízes 17:6 e 21:25

"Naqueles dias não havia rei em Israel; cada um fazia o que parecia bem aos seus olhos”.

 

O Reino de Israel

(cerca de 1100 AC)

Naquele tempo a palavra de Deus era rara e as visões não eram freqüentes (I Samuel 3:1). O povo tinha se afastado de Deus e a arca da aliança (que representava a presença de Deus) havia sido roubada.

Neste contexto surge Samuel, que reconhecido em todo Israel como profeta. (I Samuel 3:15-21)

Não havia quem governasse Israel. O povo então ao invés de se voltar para Deus, pede um rei que os governasse. Um governo humano.

 

I Samuel 8:6-9

"Mas pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei para nos julgar. Então Samuel orou ao Senhor. Disse o Senhor a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não é a ti que têm rejeitado, porém a mim, para que eu não reine sobre eles. Conforme todas as obras que fez desde o dia em que os tirei do Egito até o dia de hoje, deixando-me a mim e servindo a outros deuses, assim também fazem a ti. Agora, pois, ouve a sua voz, contudo lhes protestarás solenemente, e lhes declararás qual será o modo de agir do rei que houver de reinar sobre eles”.

 

O rei Saul:

O povo escolhe Saul (grande, soberbo). Ele foi o 1o rei de Israel, o rei segundo a vontade (coração) dos homens.

Saul era egoísta, político, religioso e agia por si mesmo.               (I Samuel 13:8-12). Por isso Deus rejeita Saul como rei.

 

I Samuel 15:22-23

"Samuel, porém, disse: Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de adivinhação, e a obstinação é como a iniqüidade de idolatria. Porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou, a ti, para que não seja rei”.

 

O rei Davi:

Deus escolhe Davi filho de Jessé, para ser o novo rei. (I Samuel 16) Ele tinha comunhão com Deus, era sincero, humilde, pecador, mas conhecia o Senhor. Tinha uma visão completa do governo de Deus sobre a terra.

Davi foi colocado como general dos exércitos de Israel após derrotar Golias, o gigante filisteu. Ele começa a prosperar e Saul, por inveja, inicia uma incansável perseguição a Davi.

Davi em todas as ocasiões não ousou matar Saul, pois era o ungido de Deus. Ele aguardou até que o próprio Senhor lhe entregou o trono sobre a casa de Israel, quando Saul foi morto em combate.

Deus aprova Davi e confirma o seu reinado (I Samuel 7:12-17 Mateus 1:1), e Jerusalém é estabelecida como capital do reino.

Davi escreveu vários salmos que revelam sua comunhão com Deus. Cerca de 73 dos 150 salmos são atribuídos a ele.

 

O rei Salomão:

Salomão era filho de Davi. Quando se tornou rei, Deus lhe concedeu que pedisse o que quisesse e lhe seria atendido. Ele pede sabedoria para governar Israel. Por ele não ter pedido riquezas glória ou poder, além da sabedoria Deus também lhe deu estas coisas.        (I Reis 3)

Ele se tornou o homem mais sábio a terra, também o mais rico e cheio de glória. Durante o seu reino, Israel viveu o auge de sua história como nação. Reis e rainhas de outros povos iam a Jerusalém para ouvir Salomão.

Ele também construiu o templo em Jerusalém. Um monumental edifício baseado no tabernáculo, onde seriam executas as ofertas e sacrifícios.

Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, ele tinha 700 princesas e 300 concubinas. Elas lhe perverteram o coração com seus costumes e religiões e ele se envolveu com idolatria (Astarote, Malcon, Moloque, Baal, etc).

I Reis 11

 

A Divisão do Reino:

Salomão teve dois filhos Roboão e Jeroboão. Após sua morte os dois reivindicaram o reino. Sendo que houve uma divisão em Israel:

·        As tribos de Judá e Benjamim ficaram com Roboão e constituíram o reino de Judá, com sede em Jerusalém.

·        As demais tribos ficaram com Jeroboão e constituíram o reino de Israel, com sede em Samaria.

 

Tanto Israel quanto Judá tiveram vários reis, a maioria deles maus. Os dois reinos foram se afastando do Senhor e se perdendo em meio à idolatria. Através dos profetas, Deus advertia o povo que deixasse a idolatria e voltasse para Ele ou seriam espalhados por todas as nações.

Assim, em 720AC o rei da Assíria conquista Israel, em 600AC Nabucodonossor, rei da Babilônia, invade Jerusalém para conquistar Judá e o povo é levado cativo para o exílio.

Depois disso o povo passaria para o domínio do Império Persa, depois do Império Grego e finalmente do Império Romano.

 

 

Os Profetas

Durante o período dos reis, vários homens foram levantados por Deus para chamar o povo de volta para Ele.

Estes homens eram os profetas, pessoas a quem o Senhor revelava a sua vontade e a sua palavra para que ela fosse comunicada ao povo.

A missão dos profetas era:

·        Falar contra a idolatria

·        Advertir que a nação seria destruída

·        Advertir que seriam espalhados por toda a terra

·        Profetizar e anunciar a vinda do messias

 

São eles:

·        Samuel

·        Davi*

·        Natã

·        Zadoque

·        Gade

·        Aías

·        Azarias

·        Hanani

·        Jeú

·        Elias

·        Elizeu

·        Micaías

·        Ageu

·        Jonas

·        Isaías

·        Oséias

·        Amós

·        Miquéias

·        Obede

·        Naum

·        Joel

·        Sofonias

·        Jedutum

·        Habacuque

·        Obadias

·        Ezequiel

·        Zacarias

·        Malaquias

(E ainda poderíamos incluir Moisés)

Eles foram homens usados por Deus para exortar e advertir o povo, desde o primeiro rei, 1000AC até 400AC, quando cessaram as profecias.

 

As profecias sobre Jesus:

Todo o Velho Testamento é uma preparação para a chegada do Reino de Deus através de Jesus Cristo. Nele vemos Deus se aproximando e se revelando de várias maneiras ao homem que havia se perdido. Até que finalmente Ele se revela definitivamente na pessoa de Jesus de Nazaré, o Cristo e filho de Deus, aquele que restabeleceu o governo de Deus sobre os homens. Todo o velho testamento aponta para Jesus e sua vida é profetizada desde Gênesis até Malaquias:

O Velho Testamento termina dizendo:

Malaquias 3:18

"Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que o não serve”.

Malaquias 4:5-6

"Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição”.

Desde então, até Cristo são 400 anos de silêncio.

 

João Batista:

João Batista surge no início do Novo Testamento com a função de preparar o caminho do Senhor. Ele é o maior dos profetas, pois tem maior revelação do messias. Mas é o menor no reino dos céus, pos qualquer um no reino tem maior revelação de Cristo que ele.

Ele anunciava a chegada do reino pregando o arrependimento para remissão dos pecados e batizando nas águas. Ele preparou o povo para receber o evangelho. Ele também marca o fim da era da lei e o início da era da graça.

Lucas 16:16

"A lei e os profetas vigoraram até João; desde então é anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem forceja por entrar nele”.

Em Cristo se cumpre o inicial de Deus de habitar no homem, trazendo de volta ao seu estado original e colocando nele o seu Espírito.

Agora o plano de Deus pode continuar, pois Jesus Cristo colocou o homem de novo sobre o Governo de Deus.

 


 

Estudos Bíblicos da Missão Oráculo do Senhor

 Entre em contato conosco:

M.O.S.

Missão Oráculo do Senhor

www.oraculodosenhor.com

 

<<< VOLTAR a PÁGINA de ESTUDOS BÍBLICOS


Home     Oráculo     Ajuda     Batalha Espiritual     Avivamento     Nova Ordem     Conspiração     Apostasia     Ovnis     Palestras     Saúde      Contato